Onefootball
Alexandre Fernandes

Scarpa tem recurso negado, e justiça mantém bloqueio de R$200 milhões


Ministro Alexandre Belmonte, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), negou pedido do meia do Palmeiras. Decisão final será no TRT

A quarta-feira (08) não foi de boas notícias para Gustavo Scarpa. O meia do Palmeiras teve seu recurso negado pelo ministro Alexandre Agra Belmonte, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que manteve o arresto de R$ 200 milhões sobre o atleta e o clube Alviverde.

O valor é referente à multa rescisória de Scarpa com o Fluminense. A decisão final do imbróglio será apenas no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), onde a ação já está em trâmite. Na última sexta-feira (03), o Tricolor Carioca conseguiu o bloqueio do valor graças à decisão da juíza Dalva Macedo, titular da 70ª Vara do Trabalho no Rio. O bloqueio é para garantir a futura execução do valor, mas não impede que Scarpa entre em campo pelo Palmeiras.

RESUMO DO ‘CASO SCARPA’

  1. No início de dezembro, em 2017, Gustavo Scarpa manifesta a vontade de deixar o Fluminense, e o clube inicia negociações com outras equipe, como São Paulo, Corinthians e Palmeiras.
  2. Final de dezembro, após fracasso nas negociações com o Palmeiras (em negócio que envolveria trocas por Fabiano, Juninho, Roger Guedes e Hyoran), Scarpa entrou na Justiça pedindo rescisão de contrato com o Fluminense devido a salários atrasados, incluindo direitos de imagem e FGTS. No entanto, o clube carioca não foi notificado da ação por causa do recesso do judiciário.
  3. Em janeiro de 2018, o Fluminense quita parte dos salários atrasados em tentativa de evitar o processo de Scarpa. Enquanto o processo corre na Justiça, em 1ª instância, a Juíza Dalva Macedo nega o pedido de liberação antecipada pedida pelo jogador. No entanto, os advogados de Scarpa conseguem uma liminar favorável ao meia-atacante, anunciado pelo Palmeiras por cerca de 6 milhões de euros e contrato de cinco anos.
  4. Scarpa já havia entrado em campo e feito gols pelo Palmeiras quando, em março, desembargadores do TRT-RJ cassaram a liminar que liberava o jogador a assinar por outras equipes.
  5. Após meses parado, no final de junho, Gustavo Scarpa consegue um habeas corpus no Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília, e acerta o seu contrato com o Palmeiras, sendo liberado para entrar em campo.