Onefootball
Flávio Botelho

Na altitude de La Paz, Brasil e Bolívia ficam no 0 x 0


Brasil joga bem na altitude de La Paz, cria boas chances, mas esbarra em partida memorável do goleiro boliviano Carlos Lampe e fica no 0 x 0 com a Bolívia

Neymar? Philippe Coutinho? Gabriel Jesus? Entre tantas estrelas do futebol mundial, foi o goleiro boliviano o destaque do empate em 0 x 0 entre Bolívia e Brasil nesta quinta (5), em La Paz. Carlos Lampe foi um paredão durante todo o jogo, segurando o placar inalterado na capital boliviana. Já classificada para a Copa, o Brasil faz sua última partida nas Eliminatórias sul-americanas na próxima terça (10), contra o Chile, no estádio Allianz Parque, em São Paulo. A Bolívia, já eliminada, viaja até Montevidéu para encarar o Uruguai.

Estratégia à risca no primeiro tempo

Jogando na altitude, Tite traçou uma estratégia de mais cautela durante a primeira etapa, visando poupar os jogadores brasileiros de sentirem o impacto dos 3.640 metros acima do mar de La Paz. Fazendo valer o mando de campo e a maior adaptação às condições da capital do país, a Bolívia foi para cima do Brasil e levou perigo em alguns lances, mas nenhuma assustou o goleiro Alisson.

Aos 27, no entanto, um susto para Tite: Thiago Silva cai no gramado e é substituído por Marquinhos. A princípio, pensou-se que o zagueiro do PSG havia sentido os sintomas da altitude, mas ainda durante o jogo a CBF confirmou que ele sentiu uma lesão na coxa, e será reavaliado quando a Seleção voltar ao Brasil.

Aos 42 minutos, Neymar desperdiçou a melhor chance de abrir o placar: após receber lançamento de Paulinho, o atacante se livra do goleiro Lampe, finaliza, Valverde salva o gol brasileiro em cima da linha.

Segundo tempo mais “solto”

Dominando a posse de bola e percebendo que a Bolívia não levava tanto perigo à área brasileira, a Seleção começou a se soltar mais na segunda etapa. Logo no primeiro minuto, Paulinho cabeceou forte após cobrança de falta de Neymar e o goleiro Lampe fez uma bela defesa.

Aos 20 minutos, Tite promoveu a segunda alteração na equipe brasileira, colocando Willian no lugar de Philippe Coutinho. O meia do Chelsea trouxe um pouco mais de ofensividade, visto que Coutinho não se adaptou muito bem à altitude, e obrigou o goleiro Lampe a mais uma boa defesa aos 32.

Cinco minutos depois, a última substituição no Brasil: saiu Paulinho e entrou Fernandinho. Apesar do “fôlego novo” e de ter jogado melhor no segundo tempo, a grande atuação de Lampe fez com que o jogo terminasse em 0 x 0.