Onefootball
Alexandre Fernandes

Messi fala de aposentadoria e aponta favoritos na Copa da Rússia


Camisa 10 do Barcelona revelou que tem dificuldades em pensar no dia que irá parar de jogar e apontou Brasil, Espanha e Alemanha como “Top 3” do Mundial

Ao lado de Cristiano Ronaldo, Lionel Messi tem sido o grande nome do futebol mundial, pelo menos, nos últimos 10 anos. No entanto, mesmo que, às vezes o argentino parece ser um “E.T.”, é chegada a hora de parar. O camisa 10 do Barcelona e da Argentina, no entanto, revelou ter dificuldades em pensar na aposentadoria, mas fez também questão de tranquilizar os fãs ao garantir que ainda tem “lenha para queimar” por mais alguns anos.

“Quantos anos mais eu vou continuar jogando? Essa é a pergunta mais complicada possível de responder. Para ser sincero, nem eu sei. Tomara que seja por mais alguns anos. A vontade e a ambição continuam a crescer a cada dia. Ainda tenho muitos desafios que gostaria de alcançar coletivamente, mais troféus, mais gols. Atualmente, me sinto muito bem, não sei quando vou deixar o futebol. Talvez seja um pouco precipitado começar a pensar nisso, apesar de que estou ciente que, querendo ou não, esse dia chegará para mim”, disse Messi, em entrevista á Real Federação Espanhola de Futebol.

Apesar de todos os títulos conquistados no Barcelona, recordes quebrados e prêmios individuais, Lionel Messi tem de viver com a sombra de nunca ter conquistado um torneio com a seleção argentina profissional. Prestes a disputar mais uma Copa do Mundo (seu quarto Mundial), o camisa 10 sabe da importância de levantar a taça depois de bater na trave em 2014, diante da Alemanha, mas não colocou a Argentina como favorita.

“Brasil, Alemanha ou Espanha. Certamente essas três seleções estão entre as melhores da Copa do Mundo, mas há muitas outras que também podem vencê-la. Não haverá partidas fáceis. Jogamos três finais consecutivas: a Copa do Mundo no Brasil e duas Copas América. A exigência é muito grande. Claro que queremos lutar para sermos campeões, mas a única maneira de poder lutar até o fim é ir progredindo pouco a pouco no torneio. Espero que possamos viver belos momentos, como aconteceu no Brasil, mas também que possamos ter um final muito mais feliz desta vez”, concluiu Messi.