Onefootball
Alexandre Fernandes

Barbieri elogia, mas destaca problema do Grêmio em jogar sem a bola


Técnico do Flamengo fala em privilégio por enfrentar o time comandado por Renato Portaluppi e traça estratégia para furar defesa tricolor

Nesta quarta-feira (01), o Flamengo enfrenta o Grêmio, em Porto Alegre, pela primeira partida das quartas de final da Copa do Brasil. Para o técnico Maurício Barbieri, ainda que as qualidades da equipe tricolor devam ser exaltadas, a estratégia rubro-negra será não deixar os gaúchos controlarem o jogo com o domínio da posse de bola

“O Grêmio é uma equipe muito difícil de ser batida, principalmente aqui. É uma equipe que gosta de ter o controle do jogo, tenta dominar o adversário, temos que encontrar maneiras de não deixar o Grêmio confortável no jogo. Ao mesmo tempo, o Grêmio gosta bastante de ter a bola e tem dificuldade quando não a tem”, disse o técnico rubro-negro, em entrevista coletiva, em Viamão, antes de completar.

“Muito da defesa do Grêmio passa pela quantidade de tempo que eles ficam com a bola. Imagino que se a gente conseguir roubar um pouquinho essa posse, conseguir colocar a nossa iniciativa de jogo, eles possam ter mais dificuldade que normalmente têm. Mas isso a gente só vai saber na hora”.

Líder do Campeonato Brasileiro e também nas oitavas de final da Libertadores, Maurício Barbieri trata a Copa do Brasil como uma das prioridades do Flamengo na temporada. O jovem treinador falou do privilégio em enfrentar Renato Portaluppi, mas garantiu o time focado na busca pela vaga nas semifinais.

“Poder participar de qualquer decisão é um privilégio. O Flamengo conquistou esse direito dentro do campo, assim como o Grêmio. Imagino que vai ser um jogo muito bom, de duas equipes muito qualificadas. É um privilégio poder estar jogando contra a equipe do Renato, foi um grande atleta, é um grande treinador, como os resultados têm demonstrado. Me sinto privilegiado, mas com muito cuidado, muito respeito, a gente vai tentar buscar o resultado para o Flamengo”, concluiu.