Onefootball
Vitor Geron

Artilheiros, goleadas e técnicos: os recordes incríveis da Liberta


A Libertadores começou e, além da expectativa para descobrir quem será o campeão de 2020, fica sempre aquela dúvida sobre os recordes que serão quebrados e as surpresas que vão entrar para a história.

Por isso, o Onefootball reúne aqui alguns dados curiosos e recordes que podem ou não ser quebrados em 2020.


Artilheiros

Ninguém na história da Libertadores marcou mais gols do que o equatoriano Alberto Spencer. Foram 54 bolas na rede, 48 pelo Peñarol e seis pelo Barcelona-EQU.

Quando o assunto é o artilheiro de uma única edição, o recorde pertence ao argentino Daniel Onega, que fez 17 pelo River Plate em 1966.


Vovô e criança são brasileiros

Dois recordes que envolvem gols pertencem a brasileiros. O país tem o jogador mais velho e mais jovem a marcar na Liberta.

Palmeiras-v-Rosario-Copa-Bridgestone-Libertadores-2016-1583349111.jpg

Friedemann Vogel/Getty Images

O mais velho é Zé Roberto, que fez gol pelo Palmeiras aos 42 anos, em 2017. Um ano depois, Rodrygo, do Santos, balanço a rede com apenas 17 anos.


Maior campeão

Se você acha que seu time é muito tradicional na Liberta pelos títulos conquistados, o que dizer de Francisco Sá, um argentino que tem mais títulos do que qualquer equipe brasileira.

Entre 1972 e 1978 ele conquistou seis vezes a Liberadores, quatro pelo Independiente e duas pelo Boca Juniors. É o verdadeiro Rei de Copas.


Maiores goleadas

Brazils-Santos-player-Neymar-L-celebr-1583349472.jpg

YASUYOSHI CHIBA/AFP/GettyImages

A maior goleada saiu no distante ano de 1970, quando o Peñarol venceu o Valencia-VEN por 11 x 2. Em jogos envolvendo times brasileiros, as maiores goleadas foram do Santos: 9 x 1 no Cerro Porteño, em 1962, e 8 x 0 no Bolívar, em 2012.


Todos os brasileiros que jogaram Libertadores

Players-of-the-Sao-Caetano-celebrate-with-goal-ke-1583349068.jpg

MAURICIO LIMA/AFP via Getty Images

A competitividade no Brasil faz do país o com mais representantes diferentes na história da Libertadores. Ao todo, 28 equipes já jogaram a competição.

Será que você consegue listar todos? Aí vai a cola:

Atlético-MG, Athletico-PR, Bahia, Bangu, Botafogo, Chapecoense, Corinthians, Coritiba, Criciúma, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Goiás, Grêmio, Guarani, Inter, Juventude, Náutico, Palmeiras, Paraná, Paulista, Paysandu, Santo André, Santos, São Caetano, São Paulo, Sport e Vasco.


E os técnicos?

Entre os treinadores, alguns brasileiros também detêm recordes expressivos. Felipão e Paulo Autuori, por exemplo, são dois técnicos que estão na lista dos que conquistaram títulos por duas equipes diferentes. Felipão ganhou com o Grêmio e o Palmeiras, Autuori com Cruzeiro e São Paulo.

Sao-Paulos-Amoroso-R-and-coach-Paulo-1583349178.jpg

ORLANDO KISSNER/AFP via Getty Images

Renato Portaluppi também foi o primeiro brasileiro a vencer como jogador e técnico. Ele levantou a taça pelo Grêmio em 1983 e 2017.

O português Jorge Jesus, do atual campeão Flamengo, foi o segundo não-sul-americano e conquistar a Libertadores. Antes, só o croata Mirko Jozic, pelo Colo-Colo, em 1991, tinha conseguido a façanha.


Foto destaque: Wagner Meier/Getty Images