Onefootball
Robert Born

📝 Milan e Inter empatam no italiano


Um clássico italiano que faltou emoção e terminou sem gols. Jogando fora de casa no San Siro, a Inter cria mais oportunidades, mas falha na finalização.

MILAN (4-3-3) : Donnarumma; Calabria, Bonucci, Romagnoli, Rodríguez; Kessie, Montolivo (69 ‘Locatelli), Bonaventura (81’ Borini); Suso, Cutrone (69 ‘Kalinic), Çalhanoglu. Técnico: Gattuso

INTER (4-2-3-1) : Handanovic; Cancelo, Skriniar, Miranda, D’Ambrosio; Gagliardini, Brozovic; Candreva (78 ‘Eder), Rafinha (71’ Borja Valero), Perisic; Icardi. Técnico: Spalletti

A tática de ambos os times os cancelaram no primeiro tempo. O time da casa até tentou operar mais pelo lado esquerdo, porém pouco produtivo.

Único momento da partida na qual todos levantam do assento é quando a nova tecnologia VAR (o uso de árbitro de vídeo) é utilizada. Intternazionale, com a posse de bola predominante, encontra Icardi sozinho no gol que balança as redes.

Porém estava milímetros em impedimento. O único grande momento de um primeiro tempo monótono.

O segundo tempo é completamente diferente do primeiro. Logo no início, Icardi faz um feito incrível. Perde um gol sozinho e quase em cima da linha.

Os donos da casa mal e mal participa do jogo por boa parte do segundo tempo. De repente, como do nada, Kessi encontra uma bola alta para Cutrone, que faz um chute meio Cristiano Ronaldo na Champions e tenta uma meia bicicleta. Porém, estava impedido.

A Inter continua tentando e, devagar, consegue poucos ganhos. Nem mesmo a entrada de Borja Valero dá a inteligência necessária para que consigam se firmar no jogo. Icardi, de novo ele, aos 47′ do segundo tempo, perde mais um gol fácil. Não tão fácil quanto o primeiro, porém ainda assim um erro bobo do atacante. Após um cruzamento rasteiro passar pela área, ele entra de carrinho sem goleiro, porém a bola sobe e passa ao lado da trave direita.

O jogo termina no 0 a 0. Um jogo inexpressivo na qual Inter, com certeza, deveria ter saído com os três pontos.